Voltar
Afasia News ¬Ľ Livros

De Profundis, Valsa Lenta

 

JOÃO CARDOSO PIRES
Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 1998.

 

No livro o autor relata sua história após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC) em 1995 que afetou sua fala, leitura e escrita. Os objetos comuns tornaram-se objetos desconhecidos, as pessoas já não eram associadas ao nome e a memória estava perdida.

 

‚ÄúJos√© Cardoso Pires n√£o √© autista. √Č um artista, um escritor portugu√™s, e dos bons. Viveu uma experi√™ncia que outros tamb√©m viveram, mas que s√≥ ele conseguiu, com severo estilo formal, talento e, principalmente, extrema sinceridade, transformar numa pe√ßa liter√°ria ‚Äď De Profundis, Valsa Lenta ‚Äď que vem precedida de outra pe√ßa liter√°ria, o pref√°cio do m√©dico Jo√£o Lobo Antunes, em forma de ep√≠stola.

 

Um grupo de neur√īnios de JCP ficou subitamente privado, em parte, do oxig√™nio para respirar e do a√ß√ļcar para se alimentar porque um min√ļsculo co√°gulo de sangue se desprendera e entupira a art√©ria que conduz o sangue ao c√©rebro. Isso obrigou uma parte do organismo ‚Äď no caso, uma c√©lula nervosa ‚Äď a criar uma membrana que entrou em estado de hiberna√ß√£o protetora. Essa c√°psula de prote√ß√£o poderia durar at√© a recupera√ß√£o do paciente ou at√© a sua morte.

 

Jos√© Cardoso Pires perdeu a quase totalidade da mem√≥ria e se viu vivendo como se fosse uma terceira pessoa observando a si mesmo. Tudo como um sonho fascinante e terr√≠vel no qual os objetos mais elementares deixam de ser o que s√£o e ganham novos nomes e serventias. Como deixou de ser eu e passou a ser ele (o que aconteceu com todos os autistas e esquizofr√™nicos), o escritor teve de aprender sobre o eu. Posteriormente, j√° recuperado, olhou para alguns testes que fez, quando desmemoriado, e disse: ‚ÄėDemoro-me um pouco sobre as fotocopias da caligrafia desse homem‚Äô.

 

Foi √† mem√≥ria (existente, com sua pr√≥pria l√≠ngua e seus pr√≥prios s√≠mbolos) dentro da falta de mem√≥ria que o artista portugu√™s recorreu para nos narrar sua aventura. Fora ele um artista menor, poderia ter feito um caudaloso melodrama. Como √© um escritor s√©rio que conhece o peso de cada palavra, nos contou o que lhe aconteceu quando o peso das palavras come√ßou a mudar. Um Robinson Cruso√© de si mesmo.‚ÄĚ (Fausto Wolff)


Mais de: Livros

Assine nossa

Newsletter