Voltar
Como falam os af√°sicos?

Automatismo e Estereotipias

Não me dói Não me dói

Dona Diva, após um AVC, viveu vários anos em uma instituição geriátrica. Foi lá que eu a conheci. Era uma senhora elegante que gostava muito da companhia das pessoas. Além da afasia, o AVC trouxe também a hemiplegia de membros superior e inferior direitos. Algumas atendentes da instituição se referiam a ela como poliqueixosa, ou seja, aquele doente que tem sempre alguma queixa, geralmente de dor, em várias partes do corpo.

Mas como a vida tem sempre seus paradoxos, dona Diva, que tinha muita dificuldade para falar, conseguia produzir de forma bastante clara e bem articulada a seguinte express√£o:¬†N√£o me d√≥i.¬†A riqueza da entona√ß√£o de sua fala (pros√≥dia) ‚Äď associada com gestos e com a escrita no ar ‚Äď fazia com que a estereotipia¬†N√£o me d√≥i¬†ganhasse outros sentidos e significa√ß√Ķes nas diversas situa√ß√Ķes de intera√ß√£o.

Os automatismos s√£o geralmente considerados como elementos lingu√≠sticos constitu√≠dos de apenas alguns fonemas, de palavras ou de express√Ķes que o af√°sico consegue produzir repetidas vezes de forma aparentemente autom√°tica. Os automatismos podem ter um sentido, ou seja, ser uma palavra ou l√©xico da l√≠ngua, ou podem n√£o fazer sentido algum, constituindo-se, por exemplo, pela repeti√ß√£o de fonemas ou de grupos de fonemas. Assim, express√Ķes como¬†Minha Nossa Senhora, Meu Deus do C√©u, O senhor fa√ßa o favor, Puta merda, Esse esse, Ess√°i ess√°i, D√© d√© d√©¬†s√£o¬†ESTEREOTIPIAS¬†que o af√°sico usa revestindo-as de sentido pela pros√≥dia ‚Äď caracterizando o¬†AUTOMATISMO.

Não me dói: o bisneto da dona Diva

Dona Diva recebia visitas frequentes de sua família. Do filho Carlos vieram os netos e depois um bisneto. Usando Não me dói e vários recursos, é ela quem nos conta como sua família foi crescendo ao longo dos anos.

Assine nossa

Newsletter